Instituto de Yverdon, a última fase de J. H. Pestalozzi

Publicado em 18/09/2019 - Editado em 18/09/2019 | Comentarios > ver comentários

Instituto de Yverdon  - Uma média de 150 alunos internos (a maioria) aprendia com Pestalozzi que "O amor é o eterno fundamento da educação"

 

Em 1805, o Instituto foi transferido para Yverdon-les Bains, uma cidade da Suíça situada a 60 km de Berna, no cantão de Vaud, às margens do Lago de Neuchâtel.  Yverdon É a capital do Distrito do Jura-Nord vaudois e segunda cidade mais populosa do cantão.  Aqui começa a  última fase de atividades que Pestalozzi desenvolveu com relação à educação. 

 

Pestalozzi se estabeleceu no Instituto de Yverdon, já com sessenta anos e trabalhou ativamente por mais vinte. 

 

No Instituto de Yverdon, os processos pedagógicos de Pestalozzi e a sua aplicação foram uma inspiração para vários pedagogos. Desde os recreios, trabalhos manuais, até aos passeios, eram um vasto leque de actividades acompanhadas pelos professores, num relacionamento de empatia, afeição e amor, entre professores e alunos.

 

O Instituto de Yverdon, após várias inspeções, aos poucos, passa a ser considerado escola-modelo para toda a Europa. Apesar da escola ser particular, Pestalozzi continua pobre. Seu lema: " Tudo para os outros, nada para mim". É conhecido como "Pai Pestalozzi" e dedica-se intensamente a amar alunos e colaboradores, e também em aplicar a educação moral.

 

Iverdon funcionou sob a direção de Pestalozzi durante vinte anos, de 1804/1805 a 1824/1825, instalado num castelo medieval às margens do Lago Neuchâtel, e foi considerado instituto escolar modelo para a Europa, segundo o parecer de renomados filósofos, cientistas, literatos e personalidades políticas da época, que o visitaram e dali saíram maravilhados, tais como os sábios Humboldt, Saint-Hilaire, Cuvier, Biot, Maine de Brian, Madame de Stael, Robert Owen, Goethe, Fichte e diversos membros da realeza.

 

No Instituto de Iverdon, Pestalozzi reuniu educadores de várias partes e recebeu a visita de outros que se tornaram célebres: Froebel, criador do Jardim de Infância; Carl Ritter, fundador da Geografia Científica; Herbart, que desenvolveu a Psicologia; Jullien de Paris, que divulgou o método pestalozziano na Europa, entre outros.

 

O funcionamento do Instituto de Iverdon era revolucionário para os padrões da época: portões sempre abertos, liberdade para os alunos, dez horas de aula por dia, salas de trabalho, trabalhos manuais, aulas de ginástica e natação ao ar livre, pesquisas de botânica e biologia em interação com a natureza, utilização da música e dos alunos mais adiantados como submestres. Todos os domingos, numa assembléia-geral, era feita uma avaliação dos trabalhos desenvolvidos na semana.

 

Segundo depoimento de ex-alunos, não havia castigos nem recompensas. Só admitia a disciplina do dever, da afeição e do amor.

 

O curso completo de instrução no Instituto de Iverdon não tinha duração fixa, estendendo-se desde a idade de nove ou dez anos, ou mesmo desde os sete, até os quinze ou dezesseis anos. A instrução primária e secundária, compreendida naquele período, seguia-se, para aqueles que o quisessem, um terceiro e último grau de educação, técnica, e praticamente destinada a formar bons professores para as salas de aula e professores na ciência da educação e na arte pedagógica.

 

Línguas, raças, crenças, culturas e hábitos diferentes se misturavam em Iverdon, aprendendo as crianças e os jovens, na vivência escolar, a lição da fraternidade, da igualdade e da liberdade.

 

Uma média de 150 alunos internos (a maioria) aprendia com Pestalozzi que "O amor é o eterno fundamento da educação".

 

Por volta de 1815 surgiram dissensões (falta de entendimento ou divergência de opiniões entre duas ou mais pessoas)  entre os professores da escola de Yverdron, e os últimos 10 anos de trabalho de Pestalozzi foram marcados por cansaço e tristeza.

 

Em 1825, Pestalozzi se aposenta. Ele deixou Yverdon, para regressar a Neuhof, juntamente com o seu colaborador Schimd, “A minha instituição, tal como nasceu em Burgdorf do seio do caos, tal como subsistiu em Yverdon numa disformidade sem nome, não era o fim da minha vida”, disse Pestalozzi.

 

 


 

CONTINUE A APRENDER SOBRE PESTALOZZI


  << ANTERIOR  
 


 


  PRÓXIMO >>  
 

 


 

Este texto foi desenvolvido a partir destas fontes originais: 

BIBLIOGRAFIA:

INCONTRI, D. Pestalozzi: Educação e ética. São Paulo: Scipione, 1997.
OLIVEIRA, Z.R. de, Educação Infantil: fundamentos e métodos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005. 
ALVES, WALTER OLIVEIRA. Pestalozzi um romance pedagógico. 1. ed. São Paulo: IDE Editora, 2014.

CONTEÚDO DIGITAL:

J. H. Pestalozzi: a swiss educador
Escrito por Kate Silber    Crédito: Britannica
https://www.britannica.com/biography/Johann-Heinrich-Pestalozzi

Les lieux fréquentés par Pestalozzi
La place Pestalozzi, lieu de vie
Iconographie de Pestalozzi

Biographie de Pestalozzi 
Escrito por: Office du tourisme et du thermalisme

www.yverdonlesbainsregion.ch/fr/
https://www.herens.info/Pestalozzi/index.htm
https://www.yverdonlesbainsregion.ch/fr/Z5253/yverdon-les-bains?gpoi=1579

Hans Jakob Pestalozzi
Escrito por : não identificado   Crédito : Ancestry.com
https://www.ancestry.com/genealogy/records/hans-jakob-pestalozzi-24-74rb4k
J. H. Pestalozzi: uma breve introdução
Escrito por Editora Comenius
http://editoracomenius.com.br/index.php?id_category=2512&controller=category
Pestalozzi, vida e obra
Escrito por Marcus de Mario  Crédito: A Casa do Espiritismo
http://www.acasadoespiritismo.com.br/EVANGCRIANCA/praticaeducativa/cap%201%20pestalozzi%20vida%20e%20obra.htm

Henri Pestalozzi
Autor: Associação Espírita Missionários da Luz de Fernandópolis, SP
http://henripestalozzi.org.br/henri.html

Pestalozzi
Escrito por:  não informado no site. Crédito: Portal Cola da Web
https://www.coladaweb.com/pedagogia/pestalozzi

Pestalozzi, o ‘educador da humanidade’ (documentário da série ‘Grandes Educadores’)
Escrito por: José Paz Rodrigues a 17 de agosto de 2016
https://pgl.gal/pestalozzi-o-educador-da-humanidade-documentario-da-serie-grandes-educadores/

Pestalozzi, o teórico que incorporou o afeto à sala de aula
Escrito por: Márcio Ferrari  em 01 de Outubro | 2008
https://novaescola.org.br/conteudo/1941/pestalozzi-o-teorico-que-incorporou-o-afeto-a-sala-de-aula 

Johann Heinrich Pestalozzi
Publicado em: Wikipdia
https://pt.wikipedia.org/wiki/Johann_Heinrich_Pestalozzi

 

Comentários


Top 10: As Mais Lidas do Site


Receba nossas notícias e novidades no seu e-mail

* indicates required
/ ( dd / mm )

O que outros visitantes estão vendo agora

Fale conosco no WhatsApp +55 11 99858-2611